FPF nega ajuda financeira aos árbitros na pandemia

Compartilhe nas redes sociais:

No dia 18 de março, o presidente do SAFESP, Aurélio Sant’Anna Martins, protocolizou na Federação Paulista de Futebol o ofício nº 012/PRES/2020, onde formalizou o pedido de ajuda financeira a todos os árbitros da entidade por conta da paralização dos jogos e atividades devido a pandemia do novo coronavírus.

Com a decisão de paralizar todas as competições, o que foi a decisão ideal frente a atual situação de saúde que o mundo passa, os árbitros de futebol ficaram sem trabalhar e, consequentemente, sem receber suas taxas de jogos. Isso, para boa parte dos árbitros, significa seu sustento e de sua família toda.

– “Se os árbitros não receberem seus pagamentos pelo trabalho que deveriam realizar nesse período, muitos não vão ter o que comer. Por isso pedimos para a FPF se sensibilizar com o momento e arcar com uma ajuda financeira a esses profissionais dedicados” – explicou o presidente do SAFESP.

A FPF somente cientificou o recebimento deste ofício no dia 23, ou seja, 5 dias após seu recebimento.

– “Temos o e-mail comprovando o recebimento por parte da sra. Ana Paula de Oliveira, presidente da Comissão de Árbitros, e também do sr. Reinaldo Carneiro, presidente da FPF. Acho que não deram a devida atenção para a seriedade do problema.” – disse Aurélio.

Entrentanto, somente no dia de hoje (1 de abril), a FPF respondeu ao ofício dizendo que, para nossa infeliz surpresa, a entidade não se responsabilizará por nenhum pagamento aos árbitros nesse período de quarentena. Além disso, a entidade não reconheceu os árbitros como profissionais vinculados à federação, em carta assinada pela própria sra. Ana Paula de Oliveira.

– “Parece até resposta do dia da mentira. A FPF, ao meu ver, está fazendo pouco caso dos árbitros e desmerecendo a importância e o trabalho dos profissionais que são essenciais a todos os jogos daquela entidade. A Comissão prometeu ser mais humana na pré-temporada de janeiro, mas ela não tem sido nenhum pouco humana com nossos árbitros.” – completou Aurélio.

Como bom exemplo a ser seguido, a CBF anuncionou hoje que dará uma ajuda financeira a seus quase 500 árbitros nesse período.

Apesar de todos os jogos e competições estarem suspensos, a federação mantém uma rotina de atividades e exigências para com os árbitros, como manter o treinamento físico, estudo das regras e reuniões psicológicas por meio online. Ou seja, os árbitros ainda continuam trabalhando.

O SAFESP está avaliando as possíveis medidas cabíveis e acionará a entidade assim que encontrar a melhor forma de garantir aos árbitros seu devido sustento e sobrevivência, deles e de suas famílias.

Ao mesmo tempo, o sindicato está estudando se consegue encaixar os árbitros, ou parte deles, na ajuda financeira que o Governo Federal divulgou recentemente para os trabalhadores de baixa renda e os informais.

Deixe uma resposta

× Whatsapp